Francisco convida jovens católicos a reflexões sobre figura da Virgem Maria

 

Cidade do Vaticano, 22 nov 2016 (Ecclesia) – O Papa divulgou hoje os temas para as próximas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), de 2017 a 2019, convidando os jovens católicos a reflexões sobre figura da Virgem Maria.

A 32.ª JMJ, que vai ser celebrada em 2017 a nível diocesano, tem como tema ‘O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas”, partindo de uma frase do diálogo entre o Anjo e Nossa Senhora, relatada pelo Evangelho segundo São Lucas (Lc 1,49)

No ano seguinte, o tema escolhido pelo Papa é “Não temas, Maria, porque encontrastes graça diante de Deus”, da mesma passagem do Evangelho (Lc 1,30).

A 34ª JMJ, de caráter internacional, vai acontecer em 2019, no Panamá, tendo como tema ‘Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38).

O itinerário de três anos, explica o Vaticano, em comunicado, propõe um “caminho espiritual” em ligação à reflexão iniciada com as três anteriores JMJ (2014-2016), “centradas nas Bem-Aventuranças”.

“Os três temas anunciados dão ao itinerário espiritual das próximas JMJ uma forte conotação mariana, sublinhando ao mesmo tempo uma imagem de juventude em caminho entre o passado (2017), o presente (2018) e o futuro (2019), animada pelas três virtudes teologais: fé, caridade e esperança”, pode ler-se.

O comunicado recorda o discurso preparado pelo Papa Francisco para o encontro com os voluntários da JMJ 2016, em Cracóvia, na qual se aludiam às atitudes da Mãe de Jesus, mostrando-a como “modelo a imitar”.

“O caminho proposto aos jovens mostra também uma evidente sintonia com a reflexão que o Papa Francisco confiou ao próximo Sínodo dos Bispos: Os jovens, a fé e o discernimento vocacional”, acrescenta a nota oficial.

As JMJ nasceram por iniciativa de João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível diocesano no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos numa grande cidade: em 1987, Buenos Aires (Argentina); em 1989, Santiago de Compostela (Espanha); em 1991, Czestochowa (Polónia); em 1993 em Denver (EUA); em 1995, Manila (Filipinas); em 1997, Paris (França); em 2000, Roma (Itália); em 2002, Toronto (Canadá); em 2005, Colónia (Alemanha); em 2008, Sidney (Austrália); em 2011, Madrid (Espanha); Rio de Janeiro (Brasil), em 2013; e Cracóvia (Polónia), em 2016.

Agência Ecclesia