Os grupos linguísticos elegeram um moderador e um relator e começaram suas discussões nesta quarta de manhã

Roma, 07 de Outubro de 2015 (ZENIT.org) – Terça à tarde se reuniram pela primeira vez os grupos de trabalho do Sínodo dos Bispos, para escolher o moderador e o relator por grupo linguístico. Eles se reuniram nesta quarta-feira (7) para discutir as intervenções feitas até agora.

O grupo de língua espanhola foi dividido em dois cujos moderadores são os cardeais Óscar Rodríguez Maradiaga, SDB, e Francisco Robles Ortega. Os relatores são o cardeal José Luis Lacunza Maestrojuan, OAR, e o arcebispo Baltazar Enrique Porras Cardozo.

Na conferência de imprensa realizada nesta quarta-feira para marcar o terceiro dia da assembleia do Sínodo sobre a família estavam presentes o arcebispo de Filadélfia, Charles J. Chaput, OFM; o presidente da Conferência Episcopal Peruana, Salvador Piñeiro García Calderón; e o bispo francês da Arquidiocese de Lille, Laurent Ulrich. O diretor de Imprensa da Santa Sé, padre Federico Lombardi, foi o moderador.

Dom Piñeiro García Calderón explicou que é proveniente do Peru, onde em 1970 aconteceu a tragédia do Sendero Luminoso, e apesar de não existir terrorismo, ainda há muitas feridas. Ele disse que o povo peruano é pobre, mas tem muita fé. “Em qualquer lugar invocamos Nossa Senhora como mãe e usamos a língua de Cervantes”, afirmou.

Ele também disse que participam na mesma língua eclesial, em consonância com a mensagem da Igreja em Aparecida. Sobre o desafio das famílias, ele disse: “já vimos no ano passado, e agora queremos expor a beleza da mesma e entender como temos que acompanhar”.

Tanto Dom Piñeiro como Dom Ulrich concordaram que, embora o grupo fale a mesma língua, há nuances que mudam e isso enriquece o debate. Falar a mesma língua, cada um proveniente de um país, com realidades muito diferentes, proporciona uma visão ampla para a análise.

Dom Chaput afirmou: “não estamos aqui para ganhar algo, estamos aqui para alcançar essa Verdade que o Senhor estabeleceu para a sua Igreja”. Para concluir, ele destacou que o público é enorme e por isso é necessário levar em consideração a diversidade.