O projeto foi apresentado e abençoada pelo Papa Francisco em uma audiência geral

Por Rocio Lancho García

 

ROMA, 28 de Outubro de 2014 (Zenit.org) – O Projeto Sentinelas do Amanhã é uma iniciativa dos jovens da Renovação Carismática Católica (RCC) do Brasil, que tem como objetivo realizar, através da formação, a proposta que São João Paulo II fez várias vezes em seus discursos aos jovens do mundo, especialmente nas Jornadas Mundiais da Juventude, convidando-os a ser Sentinelas do amanhã no começo deste novo milênio.

E assim começou de forma simples, sendo o tema dos ensinamento que se davam em todo o Brasil, com a finalidade de dar aos jovens a mensagem de João Paulo II no que significa ser um Jovem Sentinela do Amanhã. Fernando dos Santos Gomes, brasileiro, missionário da Comunidade Católica Presença, está casado e tem 31 anos. Bacharel em Filosofia e Teologia, é escritor dos livros da série Sentinelas do Amanhã. Atualmente coordena o Ministério Jovem da RCC do Brasil, e dedica grande parte do seu tempo pregando aos jovens no Brasil e no exterior sobre espiritualidade, missão, Teologia do corpo e projeto pessoal de vida. Um dos seus livros esteve nas mãos do Papa Francisco que escutou do jovem casal espanhol, Isidoro e Rosa, o desenvolvimento do projeto “Sentinelas do Amanhã”.

Fernando explicou a ZENIT como se desenvolvou o projeto no Brasil. “Devido ao impacto imediato da proposta e da forte participação dos jovens, depois percebemos a profundidade do assunto, e que se tratava não só de ensinamentos, mas de um programa de vida. Então, lançamos um Projeto de Formação Integral e que se tornou uma coleção de cinco livros. Cada um deles se baseia em um aspecto da vida do jovem, incentivando-o a desenvolver seu projeto pessoal de vida com base nos seguintes conteúdos: Um tempo novo para a juventude, Um caminho de discipulado, Identidade, afetividade e sexualidade, Uma juventude missionária, Construtores da Civiliação do Amor”.

Da mesma forma, indica que o material está marcado por textos da Sagrada Escritura e pelos discursos dos papas nas Jornadas Mundiais da Juventude. Além do mais, recebe uma grande influência das reflexões dos bispos latino-americanos no Documento de Aparecida.

Hoje, o projeto tornou-se no programa oficial de formação para os jovens da RCC do Brasil, América Latina e Espanha. Muitos jovens também de outras expressões eclesiais desfrutaram do seu conteúdo. O primeiro livro foi lançado em 2010 e até agora mais de 16 mil livros já foram vendidos em português, e foi traduzido ao espanhol. O segundo livro foi publicado em 2012. Em poucos meses, o terceiro livro da série será publicado tratando sobre a Teologia do Corpo, de São João Paulo II. E os outros dois livros estão a caminho. Esse material – explica Fernando – não resume tudo o que é o Projeto Sentinelas do Amanhã, mas é uma espécie de orientação, que tem a finalidade de ser um meio para ampliar a reflexão sobre a temática, e de garantir que não se perca essa forte moção espiritual, que está ajudando tantos jovens a descobrir a sua missão na Igreja e na sociedade. “Os jovens assumiram o nome ‘Sentinelas’ como uma espécie de identidade e missão para as suas vidas”, destaca o autor dos livros.

Por fim, Fernando explica para ZENIT que depois de que chegou um exemplar do primeiro livro em espanhol às mãos do Papa Francisco, “aumentou ainda mais o nosso desejo de fazer chegar essa mensagem ao coração de um número cada vez maior de jovens, levando-lhes a proposta de São João Paulo II, que nada mais é do que a mensagem de Cristo. João Paulo II compreendeu muito bem os jovens e soube falar-lhes ao coração e deixou um grande legado que não pode ser esquecido. O chamado de ser ‘Sentinela do Amanhã’, forma parte desse legado, que queremos manter vivo, contagiando muitos jovens para assumir isso como um Programa de vida moldurado nos ideais do Evangelho, tornando-se vigilantes da humanidade, construtores da Civilização do Amor”.

O projeto foi implementado na Espanha de uma maneira muito simples “e, sem dúvida, foi obra do Espírito Santo”, explica a ZENIT Pablo Emilio Rull Bravo, responsável do Ministério Nacional de Jovens da RCC na Espanha. No ano de 2012 dois membros do ministério nacional de jovens viajaram para o Brasil por ocasião do primeiro encontro mundial de jovens da RCC e ali receberam a missão de expandir do fogo que tinham recebido. “Ao chegar à Espanha e narrar o seu testemunho nos acampamentos que organizamos no verão, muitos jovens sentiram o chamado a ser Sentinelas do Amanhã e se sentiram totalmente identificados com a missão. Foi como dar um nome a algo que o Senhor já estava trabalhando nos seus corações”, indica Pablo Emilio.

E acrescenta que “ao ver o que estava acontecendo, sentimos o chamado do Senhor para aprofundar no projeto, conhece-lo e discernir se isso era o que Deus queria para nós, e quandos nos damos conta, os jovens da RCC da Espanha já tinham sido ‘contagiados’ e se identificava com esse chamado de João Paulo II”.

Por outro lado, o responsável dos jovens na Espanha indica que “ao mesmo tempo que aprofundamos na nossa formação, estamos ampliando o nosso olhar para ser uma nova juventude missionária como o Papa Francisco nos pede”. Por isso, há já um ano tentam que todos os seus encontros incorporem um tempo de missão, no qual sair às ruas e ‘fazer bagunça’, dando ao mundo a mensagem que recebemos.

E todo esse projeto chamou a atenção do Santo Padre graças a dois membros do Ministério Nacional de Jovens da Espanha, Isidoro e Rosa Maria Bernal, que participaram de uma audiência geral de quarta-feira com Fracisco como recém-casados. Quando souberam desta oportunidade “não duvidamos, e aproveitando que Fernando dos Santos estava na Espanha de missão pediu-lhe para autografar um livro do projeto Sentinelas do Amanhã em espanhol para leva-lo ao Santo Padre”.

Rosa e Isidoro dizem à ZENIT que, quando cumprimentaram o Papa se apresentaram como membros da RCC. “Ao escutar que eramos da RCC nos cumprimentou muito afetuosamente e com uma grande acolhida, e então lhe explicamos que queríamos presenteá-lo com o livro e no que consistia o projeto Sentinelas do Amanhã e como o Senhor estava levantando uma nova geração de jovens que a partir do Brasil estavam se expandindo para toda América Latina, e agora, pela Europa”, explicam. Também dizem que ao explicar-lhe que Sentinelas do Amanhã seguia o apelo que o Papa João Paulo II fez a Igreja”, seu rosto se encheu de grande alegria, e, em seguida, compreendendo a sua essência, abençoou o projeto e todos os jovens Sentinelas do Amanhã espalhados pelo mundo”.

“Para nós – afirma o jovem casal – foi um autêntico presente descobrir como é que sendo dois simples jovens, o Papa nos escutava, e abençoava o projeto. Nesse momento entendemos que além de nós mesmos, a própria Igreja abençoava o projeto e nos enviava a partir do seu próprio coração para continuar dando frutos nesses caminho que o Espírito Santo começou”.