Além das várias autoridades civis presentes na homenagem, a Igreja estava representada por Dom Fernando Guimarães, arcebispo militar, que destacou a alegria pela presença do Santuário de Schoenstatt em sua instancia eclesiástica.

SãO PAULO, 28 de Novembro de 2014 (Zenit.org) – Em sessão solene, no dia 27 de novembro, com a presença de mais de 200 pessoas, a Câmara dos Deputados do Brasil, em Brasilia/DF, fez uma homenagem ao Movimento Apostólico de Schoenstatt, pelo centenário da Aliança de Amor.
A iniciativa partiu de dois deputados, Luiz Carlos Hauly e Paulo Pimenta, de posições políticas opostas, e obteve aprovação unânime na Câmara. Em seus projetos, os autores justificam a homenagem, “devido a grande participação e acolhida de brasileiros neste Movimento, a realização de uma sessão solene muito contribuirá para o seu fortalecimento e renovação da fé” e dada “a importância desta data (18 de outubro) para a sociedade brasileira”.
O deputado Mauro Benevides preside a sessão solene e enfatiza que “o Movimento Apostólico de Schoenstatt é uma força no Brasil”, destacando sua contribuição para uma Cultura da Aliança. “Comprova-se que o trabalho competente deste Movimento é capaz de grandes realizações”, conclui.
Além das várias autoridades civis presentes na homenagem, a Igreja estava representada por Dom Fernando Guimarães, arcebispo militar, que destacou a alegria pela presença do Santuário de Schoenstatt em sua instancia eclesiástica.
Hauly acentua a influência do Movimento de Schoenstatt no Brasil, por meio dos 22 santuários filiais e Pimenta acentua a importância da Campanha da Mãe Peregrina, iniciado por João Luiz Pozzobon.
Pe. Alexandre Awi Mello, Diretor Nacional do Movimento de Schoenstatt, agradece a homenagem e diz: “O significado simbólico desse momento e que Maria quer estar cada vez mais presente no coração dos que decidem sobre os destinos do Brasil.” Ele refere-se ao fato da homenagem partir de partidos opostos na câmara, demonstrando assim ser o anseio de todo o povo brasileiro. A Mãe e Rainha de Schoenstatt “peregrina pelo Brasil, está no coração do Povo Brasileiro, e quer que Jesus seja o rei do Brasil. Maria não tem interesse em receber homenagem, mas, nós queremos agradecer a ela,” conclui.
Em entrevista após a homenagem, Pe. Alexandre interpreta a homenagem como “um reconhecimento público do governo brasileiro do valor e da contribuição do Movimento de Schoenstatt para nosso país. Um em cada dez brasileiros está em contato com a Mãe peregrina, milhões de homens do Terço dos homens e todos os que participam do Movimento nos diversos ambitos. É um número significativo que fala sobre a religiosidade do povo brasileiro, que é um povo mariano. A homenagem é um reconhecimento também de nossas ações sociais e um sinal de que estamos contribuindo para o bem de nossa sociedade.”