Papa diz que muitos dos que hoje se casam «não sabem o que fazem»

 

Roma, 19 jun 2016 (Ecclesia) – O Papa diz que a fragilidade atual dos matrimónios tem na sua base o facto dos noivos não compreenderem o compromisso que vão assumir, e realça que a Igreja Católica tem muito trabalho a fazer nesta área.

“Uma parte dos casais que hoje se casam não sabem o que fazem”, salientou Francisco durante uma visita à residência universitária “Villa Nazareth”, para estudantes desfavorecidos, em Roma.

Numa iniciativa que teve lugar este sábado à tarde, o Papa argentino lamentou a “cultura do provisório” que marca hoje a sociedade e que atinge também os casais, que muitas vezes estão juntos “enquanto o amor durar”.

“E quando o amor não prevalece, o matrimónio acaba”, salientou.

Mas os noivos “sabem que o matrimónio é para toda a vida? Sim, sim, dizem. Mas eles não sabem”.

Para Francisco, esta situação tem de apelar a uma ação pastoral mais efetiva por parte da Igreja Católica.

“Creio que a Igreja tem muito a fazer nesta área da preparação dos casais para o matrimónio”, admitiu o Papa, acrescentando que uma escolha que é para toda a vida “não pode ser preparada em três ou quatro reuniões”.

“É preferível não casar, não receber o sacramento, se não se está seguro do mistério que se tem pela frente, se não se está bem preparado”, se só se encara o matrimónio como “um acontecimento social”, declarou.

Agência Ecclesia