Entrevista com o professor Perez Soba, do Pontifício Instituto João Paulo II para a Família e a Vida

Por Sergio Mora

 

ROMA, 25 de Março de 2015 (Zenit.org) – Neste dia 25 de março, a encíclica Evangelium Vitae completa 20 anos de publicação. A respeito da sua atualidade e dos novos desafios para a cultura da vida, ZENIT conversou com o professor do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre a Família e a Vida, da Universidade Lateranense, o sacerdote espanhol Juan José Perez Soba.

Perez Soba destaca que existe hoje a pretensão de transformar o aborto em um direito e de equiparar os reais direitos das pessoas aos “direitos dos animais”, fomentando a cultura do descarte denunciada pelo papa Francisco. As ideologias contra a família, observa ele, se mostram claramente contrárias à vida, esquecendo-se do presente que é a vida. Acompanhe a entrevista.

ZENIT: As problemáticas tratadas na encíclica são as mesmas ou há outras novas?

Prof. Perez Soba: A problemática continua sendo a mesma, cada vez mais urgente, no sentido de se querer fazer do aborto um direito. Com isto, insiste-se no caminho de transformar os desejos subjetivos em fontes de direito, o que leva à imposição da conveniência subjetiva como superior a qualquer outra questão. Junto com isto, também se desenvolveu a reivindicação dos pretensos “direitos dos animais” de um modo que afeta os direitos reais das pessoas, numa visão em que, cada vez mais, o aspecto pessoal perde o seu sentido objetivo e fica à mercê das apreciações dos outros. Disto para a “cultura do descarte”, denunciada pelo papa Francisco, é só um passo.

ZENIT: Qual é o ponto mais atual da encíclica?

Prof. Perez Soba: Continua sendo o valor da vida como um dom. Não é um mero dado manipulável, mas um sentido de viver que ela comunica às pessoas. A importância do dom e da gratuidade na sociedade foram afirmadas muito claramente por Bento XVI na encíclica Caritas in veritate, que promoveu um grande debate social. Este é um ponto fundamental para recuperar uma cultura da vida que é uma realidade essencial da evangelização, da missão da Igreja em nosso mundo.

ZENIT: E em vista do sínodo da família, em outubro?

Prof. Perez Soba: A família é o santuário da vida, no qual o dom dos esposos recebe o dom imenso da vida, com a missão de transmitir esse sentido de viver. As ideologias contra a família são ideologias contra a vida, como o papa Francisco destacou na última viagem às Filipinas. É um aspecto central para o valor da família na Igreja como sujeito real de evangelização.

ZENIT: Que outras considerações o senhor pode fazer sobre o tema?

Prof. Perez Soba: Devemos manter sempre em vista a comunhão eclesial, como o Povo da vida consciente da missão que Deus mesmo lhe confia. É assim que se afirma o valor absoluto da vida humana abençoada por Deus e chamada a participar da sua vida eterna. A alegria unida à vida é provavelmente o melhor modo de torná-la visível e de transmiti-la.