Comité executivo português destaca trabalho feito naquele país «em contexto de grande dificuldade»

 

Havana, 16 jun 2016 (Ecclesia) – O comité executivo do Organismo Mundial dos Cursilhos de Cristandade (MCC), sediado em Portugal até 2017, vai promover hoje e sábado um encontro em Cuba para dinamizar o Movimento cristão naquele país.

Em declarações concedidas à Agência ECCLESIA, D. Francisco Senra Coelho, bispo auxiliar de Braga e assistente espiritual do MCC, realça que “apoiar os cursilhos em Cuba significa levar o abraço a todos quantos trabalham com afinco e coragem, num país em enorme transformação” em termos “ideológicos”.

Os cursilhos chegaram àquela ilha há cerca de 50 anos, foram relançados nos anos 90 e “em 2012 já se tinham realizado 41 cursilhos de mulheres e 38 de homens em Cienfuegos, 1 cursilho de mulheres na Província de Matanzas e 42 de mulheres e 39 cursilhos de homens em Niágara”.

“Importa salientar que todo este trabalho de primeiro anúncio da fé vem acontecendo num contexto de enorme dificuldade económica e falta de meios bibliográficos e humanos, nomeadamente de sacerdotes”, salienta o bispo.

Na nação cubana o regime comunista ainda permanece mas D. Francisco Senra Coelho destaca um país que lentamente tem vindo a abrir-se ao mundo.

A Igreja Católica em Cuba já “testemunhou” a vinda dos “últimos três Papas” e mais recentemente teve oportunidade de acompanhar “o encontro histórico entre o Papa Francisco e Cirilo”, patriarca de Moscovo e de toda a Rússia.

O encontro internacional do MCC, que vai decorrer na cidade de Cienfuegos, vai contar com a participação de responsáveis e coordenadores dos Cursilhos de Cristandade em cerca de 60 países dos 5 continentes.

Representados estarão os grupos da Europa, da Ásia-Pacífico, da América do Norte e Caraíbas e da América Latina, que congregam atualmente milhões de membros.

Sobre os pontos que estarão em debate durante o evento, D. Francisco Senra Coelho destaca a reflexão acerca da nova carta publicada pelo Vaticano sobre os movimentos eclesiais,‘Iuvenescit Ecclesia’.

Em causa estará também a “necessária atualização da mensagem dos cursilhos” aos “novos tempos”, no contexto do “rico magistério do Papa Francisco”.

O Movimento dos Cursos de Cristandade nasceu em Palma de Maiorca, (Espanha) no ano de 1949 e teve como iniciadores Eduardo Bonnín e um grupo de padres e leigos, militantes da Ação Católica, apoiados por D. João Hervás, bispo diocesano.

Desde essa data foi-se configurando como um movimento de evangelização que procura levar a Boa Nova do Amor de Deus a cada pessoa, especialmente aos mais afastados.

Durante a reunião em Cuba, os participantes vão ainda continuar a preparar o processo de beatificação de Eduardo Bonnin e a ultreia mundial que vai ter lugar em Fátima, no contexto do centenário das Aparições de Nossa Senhora.

Portugal é, pela primeira vez desde 2014 até 2017, o principal ponto de encontro para membros do movimento, tendo sido escolhido como sede da Organização Mundial dos Cursilhos de Cristandade, durante o último encontro europeu realizado entre 23 e 26 de maio de 2013, na Áustria.

O movimento chegou ao nosso país em 1960 e o primeiro cursilho realizou-se em Fátima, de 29 de novembro a 2 de dezembro desse ano.

Agência ECCLESIA