RIO DE JANEIRO, 05 Out. 15 / 04:21 pm (ACI).- O testemunho alegre de vida matrimonial de casais cristãos é a resposta da Igreja ao mundo de contemporâneo, que vive “tempos difíceis e complexos”. Foi o que assinalou o Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, em seu recente artigo, intitulado “Família hoje”, o qual fala sobre a abertura do Sínodo dos Bispos.

 

A 14ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos teve início no domingo, 4, em Roma, e segue até o próximo dia 25, tendo por tema “A vocação e a missão da família na Igreja e no mundo contemporâneo”. Neste período, conforme indicou Dom Orani, “os padres sinodais partilharão suas inquietações e soluções para as questões da família hoje”.

O Purpurado, que participou da 3ª Assembleia Extraordinária do Sínodo no ano passado, recordou que naquela ocasião “chegou-se a um texto conclusivo que serviu de base para as discussões do atual Sínodo”.

Falando sobre a abertura da Assembleia sinodal deste ano, Dom Orani destacou que a liturgia deste domingo aborda exatamente a união conjugal e sublinhou algumas reflexões do Papa Francisco.

“E ele recordou sobre a questão da solidão, do amor entre o homem e a mulher e a situação da família, recordando a doutrina da Igreja baseada nas Escrituras e, ao mesmo tempo, a presença da mesma junto às pessoas que sofrem diante de tantas situações hodiernas”, destacou.

O Arcebispo lembrou ainda que “o Papa Francisco já decidiu em ‘motu proprio’ como ter celeridade e gratuidade nos processos de nulidades matrimoniais que passam a ser julgados em apenas uma instância embora persistam sempre a possibilidades de recorrer às outras instâncias”.

Dom Orani, então, ressalta a liturgia do domingo ao citar a resposta de Jesus aos fariseus que o questionavam sobre o divórcio: “A resposta é muito clara: ‘O que Deus uniu, o homem não separe! Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra, cometerá adultério contra a primeira. E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério’. São palavras que ressoam desde aquela época e que nos questionam”, observou.

Segundo o Cardeal, “a afirmação de Jesus para os matrimônios válidos continua repercutindo”. Ele ressalta ainda que Cristo veio com a missão de implantar o Reino de Deus, “reconduzindo tudo ao plano original de Deus para a sua criação”.

“O casal – explicou o arcebispo – é chamado a viver o amor como sinal do mesmo entre Cristo e a Igreja”.

Dom Orani assinalou também que “Deus instituiu a família com o homem e a mulher num amor aberto à vida”, revelação esta que foi confirmada por Cristo, “elevando o matrimônio à dignidade de sacramento, santificando-o com a sua graça! No plano de Deus, toda família é santa, todo lar é sagrado!”.

“O sonho de Deus para o amor conjugal é que ele seja uma entrega total e plena, no amor indissolúvel, fiel e fecundo. Este é o ideal que Jesus aponta aos seus discípulos. O matrimônio abraçado por um cristão e uma cristã plenamente conscientes, responsáveis e capazes, no Senhor Jesus, é indissolúvel!”, completa.

Ao concluir, o Cardeal Tempesta convida todos a acompanharem a 14ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos com orações e unidade.

“Nestes tempos difíceis e complexos, diante de tão bela e importante vocação como é a matrimonial, rezemos para que a abertura à ação do Espírito Santo ajude todos os casais a serem testemunhas alegres de vida matrimonial. A grande resposta da Igreja ao mundo de hoje deve ser através desses testemunhos”, constata.