Roma, 12 Ago. 15 / 01:12 pm (ACI).- A Igreja Católica na África do Sul terá o primeiro beato de sua história no dia 13 de setembro. Seu nome é Benedict Daswa, professor e pai de família, assassinado brutalmente aos 43 anos de idade, devido à sua rejeição a bruxaria, na qual acreditava a maioria dos moradores da sua aldeia.

 

A cerimônia de beatificação, segundo a agência vaticana Fides, viria acontecer no Santuário Benedict Baswa em Tshitanini na Província de Limpopo (África do Sul) e será presidida pelo Cardeal Angelo Amato, Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.

No dia 22 de janeiro deste ano, o Papa Francisco autorizou promulgar o decreto que reconhece “o martírio do Servo de Deus Tshimangadzo Samuel Benedict Daswa (Bakali), leigo, assassinado por ódio à Fé, no dia 2 de fevereiro de 1990, em Mbahe (África do Sul) ”.

Daswa nasceu no dia 16 de junho de 1946 na tribo Lemba, localizada na diocese do Tzaneen. Durante sua infância foi pastor, como era o costume local. Depois da morte do seu pai em um acidente, viajou à Johannesburgo, lugar no qual teve seu primeiro contato com a Igreja Católica por meio de um amigo.

Foi batizado no dia 21 de abril de 1963, aos 16 anos de idade com o nome de Benedict.

Conseguiu obter o título de professor e em 1976, fundou uma equipe de futebol chamada The Mbahe Elevem Computers, como meio para a educação e a evangelização. Entretanto, a equipe começou com várias derrotas e vários membros procuraram um feiticeiro querendo melhorar a sua equipe. Isto fez com que Benedict se retirasse do time.

Foi escolhido como diretor de uma escola e sempre ajudou os necessitados, era conhecido por sua vida de oração, sua generosidade e bondade; características que também demonstrou com sua esposa e seus oito filhos.

Martírio

Em 1990, depois de uma série de fortes temporais em sua aldeia, a maioria dos habitantes pensou que estes fenômenos estavam acontecendo devido à bruxaria. O conselho de idosos decidiu consultar um curandeiro e pediu a colaboração de todos para pagar a consulta. Benedict disse que os relâmpagos eram um fenômeno natural e que sua fé católica lhe impedia pagar um bruxo, ocasionando a ira de muitos aldeãos.

No dia 2 de fevereiro de 1990 o automóvel no qual Benedict viajava foi detido em uma emboscada. Conseguiu fugir a pé, escondeu-se em uma casa. Ante a ameaça de matar a mulher que o escondia, Benedict se entregou aos seus assassinos dizendo: “Pai recebe meu espírito”. Foi esfaqueado, abriram-lhe o crânio com golpes e cobriram seu corpo com água fervendo, para comprovar que efetivamente tinha morrido.

Mais informação sobre a vida do primeiro sul-africano no livro dos beatos e santos da Igreja: 

www.daswabeatification.org.za