slide1 slide2

Guzmán Carriquiry: Papa propõe a beleza da família frente às colonizações ideológicas

VATICANO, 21 Out. 15 / 03:24 pm (ACI).- A família enfrenta fortes impactos e ameaças das colonizações ideológicas, inclusive por meio de leis que afetam sua natureza e a do matrimônio; ante isto, o Papa Francisco “quer iluminar toda a beleza e a verdade da família” através do Sínodo que acontece no Vaticano”, indicou o Secretário da Comissão Pontifícia para a América Latina, Guzmán Carriquiry.

 

Em uma entrevista difundida no programa “EWTN: Sínodo da Família”, pelo sinal da EWTN em espanhol, o perito destacou o fato de que pela primeira vez em cinquenta anos de história dos sínodos, realiza-se uma assembleia extraordinária e uma ordinária sobre um mesmo tema: a família.

Isto “demostra que desde o começo do seu pontificado, o Papa considerou o tema do matrimônio e da família como questão capital para o bem da Igreja” e das sociedades.

Mas por que esta necessidade de realizar duas assembleias sinodais? “Provavelmente porque durante todo este período de tempo, desde a Familiaris Consortio (de São João Paulo II) até hoje, assistimos dentro da Igreja certas situações cada vez mais críticas, vividas pelos casais e famílias dentro da nossa sociedade”, indicou.

“A família está vivendo tendências de fortes impactos de separação e o Papa Francisco falou e repetiu que houve também uma colonização ideológica de grandes centros de poder político, cultural, econômico” que tentaram favorecer esta separação da família, “inclusive atacando através de legislações frequentes difundidas por todos os países, agredindo o que é a natureza mesma do matrimônio e da família”. Ante isto, “eu acho que o Papa quer iluminar toda a beleza e a verdade da família”, afirmou.

O Secretário da Comissão Pontifícia para a América Latina recordou: “o matrimônio e a família são sujeitos privilegiados da pastoral da Igreja” e “certamente a segunda grande conclusão que estamos esperando (…) é que este caminho sinodal sobre o matrimônio e a família termine em beleza (…) e a beleza é o resplendor da verdade do matrimônio e da família”

“Tudo nos leva a pensar que através deste caminho de debate, de discussões, de reflexões e de experiências compartilhadas, o Espírito Santo está levando aos padres sinodais a concluir a beleza da família”, disse Carriquiry.