slide1 slide2

Casal brasileiro comove Padres Sinodais com testemunhos da vida cristã de crianças

Roma, 20 Out. 15 / 10:40 am (ACI/EWTN Noticias).- A Sala de Imprensa da Santa Sé divulgou hoje algumas das intervenções dos auditores no Sínodo dos Bispos. Entre eles, a de um casal de esposos brasileiros que contaram duas breves histórias protagonizadas por crianças, através das quais mostram a necessidade de ajudar a descobrir e viver a alegria de ser uma família cristã.

 

Ketty Abaroa de Rezende e Pedro Jussieu de Rezende são um casal de brasileiros, com sete filhos e 5 netos, casados há 36 anos. Atualmente, são docentes na Universidade Estadual de Campinas. Durante sua intervenção no Sínodo contaram estes breves relatos:

Um pai de família ajudava o seu filho de seis anos a fazer seu exame de consciência à noite e escutou que o pequeno disse: “Jesus, perdoa a Sarah porque ela me bateu”. E o pai lhe explicou: “Não, filho, você deve pedir perdão pelas coisas ruins que você fez”. E o menino adicionou: “Jesus, me perdoe porque fui eu que bati nela primeiro”.

O segundo relato breve tem a ver com uma mãe que foi se confessar e sua filha de quatro anos também quis ir com ela. No momento em que a mamãe saía do confessionário, a pequena bateu na porta e gritou: “Jesus, agora é a minha vez ”.

Os esposos brasileiros afirmaram que “estas sementes de fé brotam nas famílias e, através da graça do sacramento do matrimônio, podem levar a alegria apesar do sofrimento”.

“Estas famílias testemunham ao mundo a beleza do matrimônio. Tais famílias se esforçam por receber regularmente os sacramentos e receber formação espiritual de sacerdotes devotos, e se convertem em famílias apostólicas”.

Este casal proveniente do Brasil disse ainda que “graças à amizade perseve-rante das famílias apostólicas, conhecemos casais que conviviam e tomaram a decisão de casar-se na Igreja, um casal cuja esposa era infértil que renunciou a ideia da fertilização in vitro, casais que abandonam a anticoncepção para adotar a regulação natural da fertilidade. Então, necessitamos do apoio de sacerdotes santos para que as famílias façam o que melhor sabem fazer: ser apostólicas, abrindo seus lares e compartilhando a fé com outras famílias”.

Em resumo, concluíram, “acreditamos que esta é uma de nossas missões: ajudar outras famílias para que experimentem a ‘alegria de ser uma família cristã’”.