slide1 slide2

Redescobrem e traduzem o comentário em latim mais antigo dos Evangelhos

BIRMINGHAM, 05 Set. 17 / 12:00 pm (ACI).- Desaparecido por mais de 1.500 anos, o primeiro comentário em latim conhecido sobre os Evangelhos foi redescoberto na Biblioteca da Catedral de Colônia (Alemanha) e publicado em inglês na semana passada.

 

O comentário bíblico, escrito pelo Bispo italiano do século IV, Fortunatianus de Aquileia, foi redescoberto em 2012 pelo Dr. Lukas Dorfbauer, um pesquisador da Universidade de Salzburgo.

O manuscrito era amplamente conhecido por ter existido, embora muito eruditos acreditassem que tinham destruído ou se extraviado permanentemente. São Jerônimo também assinalou a existência deste comentário em sua obra Lives of Famous Men.

Dorfbauer encontrou o documento de 100 páginas na Biblioteca da Catedral de Colônia, em um manuscrito sem marcar que data do ano 800 e que tinha sido digitalizado em 2002. Enquanto outros eruditos sabiam do documento, a maioria de seu conteúdo bíblico foi passada por alto.

Mas, a curiosidade de Dorfbauer persistiu e decidiu investigar com mais profundidade o manuscrito para descobrir que não era apenas um documento anônimo, mas que sua origem parecia remontar para além do século IX.

O especialista começou a fazer anotações do documento e cruzou alguns de seus conteúdos com os escritos de São Jerônimo sobre Fortunatianus no século IV.

“Pude comparar as citações bíblicas no manuscrito de Colônia com nossas extensas bases de dados. Os paralelismos com os textos que circulavam no norte da Itália em meados do século IV ofereciam um ajuste perfeito com o contexto de Fortunatianus”, disse a ‘The Conversation’ o Dr. Hugo Houghton, diretor adjunto do Institute for Textual Scholarship and Electronic Editing (ITSEE) da Universidade de Birmingham.

Dr. Houghton, especialista em Novo Testamento em latim, começou a extrair citações do manuscrito redescoberto e o comparou com outros textos do século IV utilizando a grande base de dados de sua universidade.

Utilizou uma metodologia para analisar o texto e encontrou que a comparação “parecia preservar a forma original do trabalho inovador de Fortunatianus”.

“Tal descoberta é de considerável importância para nossa compreensão do desenvolvimento da interpretação bíblica latina, que passou a desempenhar um papel tão importante no desenvolvimento do pensamento e da literatura ocidental”, disse Houghton.

O comentário de Fortunatianus agora substitui a Vulgata como o comentário em latim conhecido mais antigo dos Evangelhos. A Vulgata foi traduzida do hebraico e aramaico ao latim por São Jerônimo entre os anos 382 e 405 e foi conhecido como a forma mais antiga do comentário em latim escrito dos Evangelhos.

O comentário de 160 capítulos está centrado principalmente no Evangelho de São Mateus, mas também inclui breves referências aos Evangelhos de São Marcos, São Lucas e São João.

Embora este novo documento seja anterior à Vulgata, continua sendo muito menos popular devido à sua recente redescoberta.

“Ainda demorará algum tempo para que este trabalho seja conhecido amplamente como os famosos escritos de mestres cristãos posteriores como Ambrósio, Agostinho e Jerônimo”, sublinhou Houghton.