slide1 slide2

As capacidades humanas não bastam para enfrentar o mal diabólico do terrorismo, diz Bispo

LISBOA, 22 Ago. 17 / 11:00 am (ACI).- O Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Braga (Portugal), Dom Nuno Almeida, alertou que, “perante o mal diabólico” do terrorismo, “não bastam as capacidades humanas” e “são necessárias a oração perseverante e a conversão à Palavra de Deus”.

 

A declaração foi feita em sua homilia durante a peregrinação ao Santuário do Sameiro, no domingo, 20 de agosto, quando convidou os fiéis a unirem suas orações e intenções pessoais às vítimas da violência terrorista, dos incêndios e de tantas catástrofes.

“Estamos, especialmente, em comunhão com todos os que se encontram em Barcelona, na igreja da Sagrada Família, na celebração da Eucaristia pela Paz e pela Concórdia”, disse, em referência à Missa presidida pelo Arcebispo de Barcelona, Cardeal Juan José Omella, em sufrágio pelas vítimas dos atentados terroristas da quinta-feira, 17 de agosto, em Barcelona e Cambrils.

O Prelado incentivou os presentes a rezar “pela paz. Não deixemos que nos roubem a esperança, pois como recordou o Papa: ‘Temos uma Mãe!’. Mãe que aqui invocamos como Nossa Senhora do Sameiro”.

De acordo com Dom Nuno Almeida, a história humana apresenta diversos horrores, entre os quais citou Auschwitz, Gulags, Kosovo, Timor, Ruanda. “E, agora, esta 3ª Guerra Mundial aos ‘pedações’, feita de atos satânicos e criminosos de terrorismos”.

“Temos a nítida sensação de que está a aumentar a crueldade humana. Até a linguagem das redes sociais, mas também a que é usada pelos responsáveis políticos faz pensar que a solução normal para os conflitos seja a violência. Recordemos as recentes trocas de ameaças entre os presidentes da Coreia do Norte e dos Estados Unidos”, sublinhou.

Nesse sentido, salientou que “o ódio gera sempre mais ódio. A xenofobia, o radicalismo geram sempre mais violência!”.

Segundo o Bispo, “estamos perante as forças do Mal com M grande! Ou seja, o mal diabólico, satânico e demoníaco”, contra o qual não bastam as capacidades humanas, “sejam elas: militares, políticas, diplomáticas, científicas e tecnológicas”.

É preciso “mobilizar as forças do Bem com B grande”, pois “só Deus nos pode tornar sãos e salvos”, indicou, ao aconselhar a fazer “com que a Palavra de Vida, de Paz e de Alegria” circule pela internet, redes sociais e demais meios de comunicação.

Assim, questionou os fiéis: “De que estamos à espera para nos reunirmos em pequenos grupos, formados pelos familiares, pelos vizinhos, pelos colegas de trabalho ou de lazer, e assim escutarmos juntos e de forma orante a Palavra de Deus, para a pormos em prática no dia a dia?”.