slide1 slide2

FOTOS: essas religiosas oferecem sua cegueira pela salvação do mundo

SANTIAGO, 24 Jul. 17 / 05:00 pm (ACI).- No dia 15 de agosto de 2017, as irmãs Sacramentistas de Dom Orione completam 90 anos desde que foram fundadas para oferecer algo muito particular pela salvação do mundo: sua cegueira.

 

Trata-se de uma comunidade de religiosas cegas consagradas à Adoração Perpétua do Santíssimo Sacramento e que se distingue por usar um hábito branco, um escapulário vermelho e uma hóstia bordada sobre o peito.

“Entendo oferecer, com este novo ramo da família religiosa, como uma flor ante o trono da Santíssima Virgem, para que Ela mesma, com suas mãos benditas, a ofereça a Jesus Sacramentado”, disse-lhes São Luís Orione ao fundá-las na Itália, em 15 de agosto de 1927.

Este ramo da consagração das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade tem como missão, segundo suas constituições, oferecer a Deus “a privação da vista pelos irmãos que ainda não conhecem a verdade, a fim de que possam chegar a Deus, luz do mundo” (Const. Art. 4).

Além disso, buscam sustentar com a Adoração Eucarística e o sacrifício “a ação apostólica das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade e dos Filhos da Divina Providência”, ambas congregações da família orionita.

A congregação está presente na Itália, Espanha, Filipinas, Quênia, Argentina, Brasil e Chile.

No Chile, estão desde 1943 e, atualmente, são três religiosas: Ir. María Luz Ojeda, Ir. Elizabeth Sepúlveda e Ir. María Pía Urbina, esta última está, nesses meses, em missão nas Filipinas.

Estas religiosas fazem aulas de informática para poder levar ao Santíssimo Sacramento os inúmeros pedidos que recebem de muitos fiéis através de sua conta no Facebook, onde oferecem rezar por cada intenção recebida.

Ir. María Luz Ojeda teve um acidente quando era criança, que a deixou com uma severa dificuldade para enxergar, que foi aumentando de forma gradual até os 30 anos, quando perdeu a visão completamente.

“Às vezes, pessoalmente, dou graças a Deus, porque por esse motivo, pude entrar na congregação. Diante do Santíssimo, muitas vezes digo ao Senhor: ‘Este é meu meio para te ajudar a salvar almas’. E sou feliz”, disse Ir. María Luz ao Grupo ACI.

A religiosa explicou que “todos os dias em nossa oração e Adoração apresentamos ao Senhor as carências, sofrimentos e dores da humanidade”.

“Talvez seja grande o que vou dizer, mas, isto é o que vou poder apresentar no dia em que o Senhor me chamar, que o ajudei a salvar almas”, afirmou Ir. María Luz.

As religiosas dedicam cada dia da semana a uma intenção em especial: a segunda-feira pelos enfermos, as terças-feiras pelos jovens, as quartas-feiras pela paz, as quintas-feiras pelas vocações, as sextas-feiras pelos idosos, os sábados pelas crianças e os domingos pelas famílias.