slide1 slide2

Os ateus são menos tolerantes do que as pessoas religiosas, afirma um estudo

MADRI, 10 Jul. 17 / 05:00 pm (ACI/Actuall).- As pessoas religiosas são mais tolerantes com os pontos de vista das outras pessoas do que os ateus, diz um estudo da Universidade Católica de Lovaina, na Bélgica. Para chegar a esta conclusão, a Universidade entrevistou 788 pessoas de diversas crenças no Reino Unido, na França e na Espanha.

 

Entretanto, são os ateus que se consideram mais abertos apesar de serem menos propensos a aceitar os pontos de vista dos outros.

As pessoas religiosas “parecem perceber e integrar melhor as perspectivas divergentes”, garantem os pesquisadores de psicologia da Universidade Católica de Lovaina.

Filip Uzarevic, um dos autores do estudo, disse que as pessoas com mentalidades fechadas não estão apenas entre os religiosos, e que com este estudo se demonstrava “que a relação entre ambos os aspectos dependia somente da ‘mentalidade da pessoa’”.

“Surpreendentemente, quando mediram a receptividade para integrar pontos de vista que eram divergentes e contrários aos próprios, as pessoas religiosas mostraram maior abertura” reconhece Uzarevic.

Para o Dr. Uzarevic, o seu estudo “São ateus não dogmáticos?” afirma que o ateísmo se converteu “em uma norma” em alguns países ocidentais.

Examinou três aspectos da rigidez mental em 445 ateus e agnósticos, 255 cristãos e um grupo de 37 budistas, muçulmanos e judeus.

O estudo afirma que as pessoas não crentes atingiram níveis mais baixos do que as pessoas religiosas no apartado “dogmatismo autodeclarado”, mas eram maiores na “intolerância”.

Uzarevic reconhece que a ideia deste estudo surgiu porque, apesar de que muitas vezes o discurso público de grupos conservadores/ liberais era aberto à opinião, percebia que eles tinham a mentalidade fechada. E ao contrário, quanto mais secular, mais tolerante e aberto.

Entretanto, nesta descoberta foi o contrário. Além disso, de acordo com esta pesquisa, quanto mais uma pessoa é ateia, tem a mente mais fechada.

Publicado originalmente em Actuall.