slide1 slide2

Bocejos de crianças inspiram sacerdote a mudar drasticamente suas homilias

DUBLIN, 29 Jun. 17 / 03:00 pm (ACI).- Um sacerdote no norte da Irlanda notou que durante a Missa os fiéis, especialmente as crianças, ficavam entediados quando fazia uma homilia longa, por isso decidiu fazer uma mudança drástica que aplicará de agora em diante.

 

Pe. Paddy O’Kane decidiu que as suas homilias não durarão mais do que cinco minutos a fim de que os fiéis prestem atenção e escutem uma mensagem que seja mais clara e contundente; e para atrair mais pessoas à igreja.

Em um artigo que escreveu para o jornal ‘Derry Now’, o Pe. O’Kane indicou que adotou esta medida depois das suas férias no Texas, Estados Unidos, onde participou, como um fiel, de várias Missas em diferentes paróquias.

“Tive uma perspectiva diferente da liturgia e cheguei à conclusão de que, em primeiro lugar, muitos sacerdotes, inclusive eu, achamos que as nossas homilias são mais interessantes do que realmente são. E, em segundo lugar, que as melhores homilias são pronunciadas do coração, não são lidas de um papel, e são curtas!”, expressou o presbítero.

Em declarações ao ‘Belfast Telegraph’, o sacerdote contou que as homilias que escutou também “eram diretas, iam direto ao ponto e achei que eram muito edificantes”.

Nesse sentido, recordou uma frase que um sacerdote sábio e idoso lhe disse: “Se você não pode extrair petróleo nos primeiros cinco minutos, é melhor parar de perfurar”.

Pe. O’Kane disse que na sua paróquia, a Igreja da Sagrada Família, localizada na cidade irlandesa de Londonderry,  há uma Missa celebrada especialmente para crianças, todos os domingos ao meio-dia.

“A palavra de Deus se explica em uma linguagem simples. As crianças adoram e eu gostaria que as outras paróquias fizessem o mesmo”, expressou em seu artigo no ‘Derry Now’.

Além disso, indicou que uma vez um pai de família lhe perguntou: “Por que eu deveria levar meu filho à Missa se ele boceja durante o longo sermão que está em um idioma que ele não entende? Padre, a Missa pode ser muito chata”.

“Eu concordei”, admitiu Pe. O’Kane.

“O que este pai de família disse realmente me impressionou e me fez pensar que talvez fazer sermões mais curtos, que vão direto ao ponto e que agradem as crianças, seria um ponto de partida para fazer com que mais famílias voltem para a Igreja”, manifestou ao ‘Belfast Telegraph’.

“É mais fácil escrever um longo sermão, por isso a minha decisão de que as homilias durem aproximadamente cinco minutos não é uma decisão que foi tomada com rapidez. É difícil, mas meus paroquianos estão me apoiando".

“Inclusive um deles me disse: ‘Não poderia fazer com que dure quatro minutos?’”, brincou o sacerdote.