slide1 slide2

Açores comemora festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres

Devoção com mais de 300 anos atrai peregrinos de diversas partes do mundo

Por Lilian da Paz

 

BRASíLIA, 23 de Maio de 2014 (Zenit.org) - Começa nesta sexta-feira (23) a maior comemoração religiosa da Ilha de São Miguel, no arquipélago dos Açores, em Portugal: é a festa do Santo Cristo dos Milagres. Conduzida há mais de três séculos, a devoção popular atrai milhares de peregrinos de todo o mundo para a cidade de Ponta Delgada. Eles vêm para fazer pedidos, pagar promessas e agradecer bênçãos conquistadas.

Com o tema A paixão do Cristo que nos une, a Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres, que organiza o evento religioso, quer proporcionar a reflexão sobre os mistérios dolorosos da Paixão e Morte de Cristo a partir da vivência da festividade.

A imagem do Santo Cristo é velada e venerada no Convento de Nossa Senhora da Esperança, na Ilha de São Miguel. De estilo renascentista, a imagem tem o tamanho superior a de um homem e representa a passagem bíblica em que Pôncio Pilatos pronuncia o Ecce Homo­ (Eis o homem), ao apresentar Jesus perante os judeus logo após ter sido açoitado e recebido a coroa de espinhos.

Resplendor, Cetro, Coroa de Espinhos, Relicário e Cordas, fazem parte da composição da imagem. São peças da joalheria nacional do século XVIII, cheias de representatividade teológica.

No Resplendor, por exemplo, são encontrados quatro objetos simbólicos: um triângulo que representa a Santíssima Trindade com os caracteres ‘Sou o que Sou’ e ‘Pai, Filho e Espírito Santo’; o cordeiro sobre a cruz e livro dos sete selos do Apocalipse significando a Redenção de Cristo; ave, pelicano e cálice representando a Eucaristia; e a coroa de espinhos lembrando a Paixão de Cristo.

O cume da festividade acontece no quinto domingo depois da Páscoa com a procissão nas ruas cobertas de flores da cidade, revelando as profundas necessidades dos fieis peregrinos. Eles pedem por intervenções na área material, mas, principalmente, na espiritual.

“Chega a ser assustador o número de pessoas que nos procuram por causa de problemas de famílias destroçadas, conflitos de geração, dificuldades de entendimento, para não falar daqueles problemas com o álcool ou as drogas”, conta monsenhor Augusto Cabral, reitor do Santuário do Senhor do Santo Cristo, em entrevista ao gabinete de comunicação da Igreja local.

A programação deste ano vai continuar com a tradição das celebrações eucarísticas no Santuário, arraial, concerto musical, orações, vigílias e a famosa procissão. A festividade segue até o dia 29 de maio.

História da devoção

A devoção ao Senhor Santo Cristo dos Milagres começou no século XVIII com a irmã clarissa Teresa da Anunciada. Ela venerava a imagem que encontrou abandonada há mais de cem anos nas dependências do convento. Pela intercessão do Santo Cristo recebeu a graça de inúmeros milagres.

A veneração da irmã, que morreu com fama de santidade, levou-a a contemplar de forma mais profunda o sofrimento de Cristo. “Para Deus, por mais que se faça, não é nada. Para o que Sua Majestade merece, tudo o que Ele quiser, estou pronta", conta a irmã em uma autobiografia.

Em 1700, a devoção ganhou espaço em São Miguel depois que a imagem o Senhor de Santo Cristo saiu em procissão do convento. Na ocasião os nobres da cidade e a população pediram para que os fortes tremores de terra cessassem.